Wednesday, 16 July 2014

Muffins tipo doughnut de canela com recheio de Nutella

Olá, Olá!


Esta semana a casa é minha! Estou a redescobrir os prazeres de estar sozinha em casa, pois o maridão está na Suécia num torneio de futebol com a equipa do clube! Achava que isto ia ser um bicho de sete cabeças, e que à noite me ia dar para a choradeira total, mas pelos vistos até estou a gostar! Já não me lembrava da sensação de ficar acordada até às horas que me apetece, de ser a dona incontestável do comando de televisão, de comer quando e o que me apetece, de cozinhar às 2 da manhã, se me apetecer, enfim, de todas estas pequenas coisas que quando somos solteiros fazem parte da nossa vida, mas que a partir do momento em que partilhamos uma vida, acabamos por adaptar e tentamos chegar a um meio termo que deixe todos minimamente satisfeitos.

Por outro lado, estou sem o cartão da máquina (encomendei um novo) e por isso não posso fazer os meus vídeos de culinária. O facto é que em relação aos vídeos, tenho a plena consciência que não tenho grande jeito para a coisa - estou com esperança de desenvolver o jeito, eheh! Contudo, sei que é mais fácil seguir receitas se além do registo escrito, houver um registo audio-visual, pois passa uma confiança extra a quem estiver a experimentar as receitas... Perdoem-me desde já pela minha falta de jeito, mas prometo tentar fazer sempre melhor de futuro, assim que chegue o novo cartão de memória.

Hoje, e porque vocês merecem, se tiverem experimentado (algumas d)as minhas sugestões do Instagram para refeições saudáveis - de vez em quando, como ontem, apetece-me prevaricar - deixo-vos uma das minhas receitas (calóricas) de mais sucesso: os muffins tipo "doughnut" de canela com recheio de Nutella! Na verdade, a receita não é, de todo, minha, mas eu apoderei-me dela - com uma adaptação na execução -, porque faz um sucesso gigantesco sempre que a faço! Retirei esta preciosidade do livro "Sally's Baking Addiction", um livro que me deixou doida, e que pré-encomendei no amazon.co.uk ainda antes de sair.

O melhor de tudo: esta receita é super fácil de fazer, e à excepção de um ingrediente que é mais carote e difícil de encontrar (mas eu dou-vos uma sugestão mais barata para o substituir), todos os ingredientes devem estar a descansar relaxados na prateleira da vossa despensa neste momento. Toca a pegar na vossa forma de muffins e tirar o pó à colher de pau! Em 45 minutos poderão estar a trincar um muffin e a lambuzar-se de Nutella, basta para isso pôr mãos à obra!



Muffins de canela com recheio de Nutella
(faz 8)

Ingredientes:

MUFFINS
75g de manteiga à temperatura ambiente;
100g de açúcar granulado;
1 ovo;
1 colher de chá de extracto de baunilha (de qualidade);
120ml de leite;
190g de farinha integral branca* (ou metade de farinha branca e metade de farinha integral);
1 1/2 colher de chá de fermento;
1/2 colher de chá de canela;
1/2 colher de chá de noz moscada (opcional);
1/2 colher de chá de sal;
8 colheres de chá de Nutella.

* Esta farinha é uma espécie de farinha integral que cá em Londres é difícil de encontrar. Imagino que em Portugal seja ainda pior. No entanto, é super saudável e tem um sabor mais agradável que a farinha integral normal. A diferença, além disso, é que esta provém de um tipo de trigo mais claro; enquanto a farinha integral normal vem de um tipo de trigo de cor avermelhada. A minha comprei-a no amazon.co.uk. Deixo-vos aqui o link. Pelo que percebi, fazem entregas internacionais. No entanto, a outra alternativa que vos dei na lista de ingredientes também fica muito boa, se não quiserem estar com este trabalho todo.

TOPPING DE CANELA E AÇÚCAR
3 colheres de chá de manteiga (usei Flora Light para não abusar da gordura);
50g de açúcar granulado;
2 colheres de chá de canela.


Preparação:

Pré-aquece o forno a 220ºC e pincela a forma de muffins com manteiga derretida (também podes usar aquelas sprays non-stick que há à venda nos supermercados). Em alternativa, também podes forrar a forma de muffins com 8 forminhas de papel - apesar de nestes muffins em específico eu não achar que fique tão engraçado, porque a ideia é eles ficarem parecidos com "doughuts". 

Bate à mão o açúcar com a manteiga até que fique em creme. Ao contrário do aconselhado no livro, não sou apologista de fazer muffins com batedeira, porque acho que a consistência passa a ser de bolo de chá ou de "cupcake", que não é a consistência correcta de um "muffin". O muffin não é seco, é húmido e hidratado e batendo com a batedeira, a tendência é sempre bater e misturar de mais, daí que aconselhe a fazeres toda a receita à mão. Em seguida, mistura de uma vez o ovo, a baunilha e o leite, e mexe até os ingredientes estarem combinados. Adiciona agora, envolvendo, e sem mexer demais a farinha, o fermento, a canela, noz moscada e sal.

Coloca uma colher de sopa de massa no fundo de cada um dos 8 orifícios da forma de muffins. Em cima disso, coloca uma colher de chá de Nutella (eu coloco pouca, porque acho que fica enjoativo, mas faz como preferires), e cobre com a restante massa.

Leva ao forno, e após 5 minutos baixa a temperatura para 180ºC. Deixa cozer mais 13/16 minutos, ou até que a massa esteja cozida (nota-se facilmente pelo aspecto deles). Não adianta espetar um palito, porque vai sair molhado da Nutella. Deixa arrefecer em cima de uma grelha de arrefecimento (se tiveres) e desenforma.

Quando estiverem frios, derrete a manteiga e margarina do "topping" numa tigela e noutro prato mistura bem o açúcar e a canela. Mergulha o topo dos muffins na manteiga derretida e em seguida passa o topo dos muffins na mistura de açúcar e canela, cobrindo-os. 

E já está, estão prontos a trincar!


Acompanhem-me também no
Beijinhos,

A Menina dos Óculos



Thursday, 10 July 2014

Panquecas sem glúten, e blá blá blá...

Depois de um pequeno-almoço surpreendentemente saudável (tem-me dado para isto, pelo menos vou tentando...) de panquecas sem glúten e feitas com o mínimo de gordura possível, enfeitadas com pedacinhos de ricota, nozes pecan, sementes de chia e xarope de ácer - estavam mesmo boas, têm de experimentar; deixo a receita, que fiz mais ou menos a olho, em baixo - voltei a atacar o computador, afinal o próxima edição do jornal está quase a fechar e apesar de já ter muita coisa adiantada, detesto ficar para trás e não estar em cima do acontecimento.



Decidi fazer uma pausa para a salada do meio-dia, que de salada deve ter pouco, porque está com um aspecto tão delicioso que me cheira que não deve ter muito de saudável... :D



Enquanto a preparava, dei uma olhada para a minha banca, que não sendo minúscula, está atafulhada de farinhas com e sem glúten, frascos de sementes, frutos secos, compotas caseiras e mais um sem número de coisas que uso com frequência na cozinha. Sou apologista de ter as coisas de que preciso na cozinha à mão. Não gosto de ter de abrir armários constantemente e tirar frascos, voltar a colocá-los no sítio... Isso enerva-me, e faz com que a experiência de cozinhar deixe de ser fluentemente criativa e passe a ser aborrecida, demorada e pouco espontânea, com diversos cortes e percas de tempo desnecessárias e que não se prendem com a comida, mas com arrumações. Por isso, não se admirem se nos próximos vídeos a minha cozinha parecer uma banca de venda na feira, porque está mais para isso, do que para uma cozinha montada num estúdio perfeita em todos os sentidos. Mas para que não pensem que estou a exagerar, a prova do meu total "atafulhamento" (estou certa que estou a inventar esta palavra...) de um dos lados da minha banca (que, já agora, não é o que uso):




Entretanto já estou a escrever e a babar neste momento, com a Nigella Forever Summer a passar na televisão, a cama meia desfeita da preguiça da manhã, e a chuva a bater-me na janela. Este é basicamente o cenário perfeito para mim: escrever e editar textos em casa, com pausa para pequeno-almoço, almoço extra-rápido e mais comida na televisão! Eheh! E o melhor está para vir, a secção que me falta resolver é a secção de moda, de que sou responsável. Perfect!

Deixo-vos, para terminar, a minha receita (inventada ontem) de...

Panquecas sem glúten e sem açúcar refinado


Ingredientes para duas pessoas:

1/2 chávena de uma mistura de farinha de arroz e de farinha de batata (fécula);
1 colher e meia de chá de fermento;
1 pitada de sal fino;
1/2 chávena de iogurte natural 0% gordura;
1 colher de sopa de óleo ou margarina derretida;
4 colheres de sopa de leite meio gordo;
1 colher de chá de extracto de baunilha;
1 ovo.


Preparação:

Mistura os ingredientes secos (eu peneirei-os antes para não ganharem grumos mais tarde) e à parte mistura os líquidos e o ovo. Mistura os secos com os líquidos. Não mexas demais, que não vale a pena, basta que não tenha grumos e fique tudo combinado. Aquece a grelha ou frigideira, o que tiveres que sirva para o efeito (eu usei a minha crepeira leve, que estava mais à mão) e em princípio, se for anti-aderente, não precisas de acrescentar gordura - eu não acrescentei e as panquecas não colaram ao tacho. Quando a frigideira estiver bem quente, coloca 1 ou 2 (no máximo) colheradas de sopa na frigideira de cada vez (as panquecas não podem ficar grandes, porque depois não viram e desfazem-se, uma vez que não têm glúten). Vira com cuidado quando tiver formado várias bolhinhas no topo e te parecer que a panqueca não se vai desfazer por ainda estar muito crua (só custa a primeira, até entenderes a consistência e tempo de cozedura delas, que é diferente das outras). Repete até a massa terminar.

Sugestão: Serve com queijo ricota (ou fresco), nozes pecan, sementes de chia e xarope de ácer de boa qualidade (se não encontrares, podes usar mel, ou néctar de agave.

Bom Apetite!

Acompanhem-me também no
Beijinhos,

A Menina dos Óculos


Tuesday, 8 July 2014

Quem não gosta de pão morno com manteiga?!


Olá, Olá!

Espero que o vosso fim-de-semana tenha corrido bem! Eu aproveitei para estar com o maridão e para nos debruçarmos nos nossos novos projectos. Foi um fim-de-semana produtivo, sem dúvida. E claro, também passei algum tempo na cozinha, entre formas, tachos e picadores. :) Aproveitei para fazer umas tarteletes de fruta e uma tarte de limão que está fabulosa! Têm a receita desta última à disposição no facebook de The Bubbly Girl in Glasses.

De qualquer forma, e voltando ao assunto to título, eu não sobrevivo sem pão, seja ele de que tipo for. É uma das minhas grandes paixões. E o facto é que fazê-lo em casa ajuda-me a criar uma ideia (falsa, vá) de que sou auto-suficiente (só me faltava plantar o trigo, mais umas galinhas, ter uma vaca para o leite, e muitas outras coisas, ahahah) e deixa-me muito relaxada, devido ao processo de amassar o pão. 

Experimentem vocês!







Ingredientes:


1 saquinha de fermento activo de padeiro (levedura) ou 15g de fermento de padeiro fresco;
300ml de água morna;
1 colher de chá de açúcar;
500g de farinha tipo 65 (white strong/bread flour);
1 colher de chá de sal;
1 colher de sopa de azeite;
farinha do tipo que preferirem para polvilhar
(eu usei polenta).

Preparação:

Activa o fermento na água morna e acrescenta o açúcar. Deixa descansar 5 minutos. Entretanto mistura a farinha com o sal numa bacia grande e faz um buraco no meio. Nesse buraco, adiciona o azeite. Em seguida, mistura a água, despejando-a nesse mesmo buraco. Começa a misturar tudo pelo meio, usando uma colher grande (pode ser de pau) ou usando as tuas próprias mãos se te sentires à vontade. Assim que a massa estiver a começar a despegar-se da bacia, enfarinha as mãos e a banca e e despeja-a para lá. Prepara-te para pôr as mãos na massa e arregaça as mangas! Começa a amassar a massa até que ela se despegue facilmente da banca e das tuas mãos e já não esteja pegajosa (cerca de 10 minutos). Cada pessoa desenvolve o seu meio de amassar a massa. Se quiseres ver como faço, confere no vídeo. 
Pincela a bacia que tinhas usado com aceite e coloca lá dentro a tua bola de massa. Tapa a bacia com filme transparente ou com um pano de cozinha e deixa descansar 1 hora em local ameno (mais para o quentinho), até que fique com o dobro do tamanho. 
Após essa hora, enfarinha (pouco) a banca e coloca lá a massa. "Esmurra-a" delicadamente 3 ou 4 vezes (vê como faço no vídeo) para que perca algumas das bolhas de ar que surgiram do processo de fermentação, e tapa-a de novo. Deixa descansar meia hora. Entretanto, pré-aquece o forno a 190ºC, e coloca lá dentro o tabuleiro ou panela (de ferro fundido, aço inoxidável, ou aço esmaltado, sem detalhes de silicone) ao mesmo tempo.
Passada meia hora, polvilha a panela ou tabuleiro com o tipo de farinha que desejares (eu usei polenta, mas podes usar farinha tipo 65, por exemplo, ou o que tiveres em casa que seja diferente, desde que gostes) e coloca lá dentro a massa com cuidado. Polvinha a massa com o mesmo tipo de farinha com que polvilhaste a panela (ou tabuleiro). Faz uns cortes no topo do pão (eu fiz em X, mas podes fazer o que quiseres) para que fique mais bonito. Leva ao forno durante 30/35 minutos, dependendo do forno (se usares panela, tapa durante os primeiros 15 minutos, e depois destapa-a). O tempo de cozedura depende dos fornos, claro, mas quando levantares o pão, lhe bateres na base e o som que surgir for oco, significa que está cozido. 
Deixa o pão arrefecer numa grelha de arrefecimento, i.e., se tiveres uma, (ou só até ficar morno) e corta uma fatia para provar! :P Hmmmmmmmm! Com manteiga é tãaaaaoooo bom!

Bom apetite, e divirtam-se na cozinha!

Acompanhem-me também no

Beijinhos,

A Menina dos Óculos







Friday, 4 July 2014

Brownies de lambuzar os dedos


Adoro receber os meus amigos em casa e ter sempre algum miminho caseiro feito por mim para lhes oferecer. Os meus "brownies", estes em particular, (há três receitas que uso com frequência: a dos brownies altamente calóricos, a dos brownies caloricamente "assim-assim"- é esta - e a dos brownies saudáveis) ficaram famosos por causa dos nossos piqueniques de Primavera, e são um sucesso, sendo que já várias pessoas me pediram a receita. Além disso, são a solução perfeita para os estranhos e súbitos desejos de chocolate a altas horas da noite do Nuno, o Mr. Bubbly. São rápidos, deliciosos e fáceis de fazer! :)








Toca a experimentar! Mãos à obra!


Brownies


Ingredientes: 

115g de manteiga com sal;
220g de chocolate preto de boa qualidade (com um mínimo de 70% de cacau, se possível);
200g de açúcar granulado;
3 ovos;
1 colher de chá de extracto de baunilha;
95g de farinha sem fermento;
1 pitada de sal fino;
3 ou 4 quadradinhos de chocolate de leite (e/ou branco) ou pingos de chocolate

Preparação:

Derrete a manteiga e o chocolate preto no microondas. Regula a temperatura do microondas para que não esteja no máximo e vai tirando de 30 em 30 segundos para mexer e assim teres a certeza que o chocolate não queima. Assim que o chocolate e a manteiga estejam derretidos e tenham formado um creme macio e aveludado, deixa arrefecer a mistura.
Entretanto, forra uma forma de brownies (geralmente quadrada ou rectangular - não tem de ser grande; 22cmX22cm ou algo semelhante está óptimo) com papel de alumínio, e não te preocupes, não tens de fazer tudo muito perfeitinho, porque o resultado final vai ser bom de qualquer forma. Aproveita também para pré-aquecer o forno a 175ºC e para colocar a prateleira do forno no 3º andar a contar de baixo.
Em seguida, mistura o açúcar com a mistura de chocolate. Adiciona os ovos, um a um, mexendo bem entre adições. Acrescenta agora o extracto de baunilha e mistura.
Adiciona agora a farinha e o sal e envolve-os gentilmente. No final, acrescenta os pauzinhos de chocolate (ou pingos, que não precisas de cortar) já cortados por ti em pedaços mais pequenos, sem mexer em excesso. Lembra-te que a ideia aqui não é bater imenso até aparecerem as "tão faladas" bolhinhas na massa. Antes pelo contrário, os "brownies" são especiais e não devem ficar secos, pelo que deves misturar apenas até combinares os ingredientes todos.
Deita o preparado na tua forma e alisa a superfície para que os teus brownies fiquem LIIINDOS! Leva ao forno durante 35 minutos (entre 35 e 45, geralmente, dependendo do forno). Os "brownies" estão prontos assim que espetes um palito no centro da massa e este saia com umas migalhinhas húmidas.
Deixa arrefecer numa grelha de arrefecimento se tiveres uma (ou não, eu admito que nunca tenho paciência para esperar), e assim que estiverem frios, corta-os em quadrados maiores ou menores, como preferires. Eu gosto de polvilhá-los com açúcar em pó (pouco, pois já são suficientemente doces), para lhes dar um ar mais fofinho!

E é isso! Aproveitem e deliciem-se!

Acompanhem-me também no
Bom fim-de-semana!

Beijinhos,

A Menina dos Óculos



Thursday, 3 July 2014

Na cozinha com a Menina dos Óculos



Olá, Olá!

E depois de um período de reestruturação, estou de volta! Quem me conhece já sabe que eu tenho de ir mudando um bocadito o conceito do estaminé para estar satisfeita. E é o que estou a fazer!

O meu Instagram e as minhas fotos do Facebook não me deixam mentir: eu cozinho muito (o que não signifique que cozinhe tudo bem, não tenho essa pretensão), mas o facto é que desde o pão que coloco na mesa, até às bolachas e biscoitos que o marido leva para o trabalho, ou à pizza, aos muffins, scones, cupcakes, macaroons, bagels, pretzels ou tudo o resto com que alimento todos os que amo e que estão por aqui por Londres, acabo por cozinhar bastante.

Após ser apelidada de "mazinha" e "egoísta" (:P) por não partilhar as receitas dos meus petiscos, decidi incluir uma nova rubrica no nosso The Bubbly Girl in Glasses. Como já se devem ter apercebido, eu adooooroooo cozinhar, descobrir sabores, paladares, e adoro a simples experiência de estar na cozinha, com os meus pensamentos, por um lado, ou de preparar refeições deliciosas para alimentar os nossos amigos, a nossa família de Londres. E ocasiões para cozinhar, não me faltam!

Daí que este novo projecto, o "Na Cozinha com a Menina dos Óculos" seja tão especial. Conto convosco para experimentarem as minhas receitas e para me darem as vossas dicas e sugestões! Quanto à qualidade (ou falta de) dos meus vídeos, sou eu que os faço, com alguma dificuldade (não domino o assunto, como devem entender...), por isso sejam meiguinhos e vejam a coisa pelo lado menos profissional e mais divertido e lúdico. O objectivo final não é convencer-vos que eu sou "chefe profissional" ou "realizadora de vídeos", mas sim, divertir-me a cozinhar e divertir-vos com as minhas aventuras culinárias!

Espero que gostem e me continuem a acompanhar!

Fiquem com o vídeo de apresentação do projecto! Enjoy!


Acompanhem-me também no


Beijinhos,

A Menina dos Óculos

Saturday, 10 May 2014

Sábado, Londres, chuva... e bolo de chocolate!

Por qualquer motivo, ontem à noite não estava a conseguir adormecer. Acabei por ficar acordada até altas horas a assistir a vídeos no youtube. E pior de tudo, com desejo de comer algo com chocolate. Ainda pensei em me levantar e ir para a cozinha, mas achei que ia acordar o Mr. Bubbly que ia trabalhar cedo hoje, por isso decidi adiar os meus desejos de chocolate (não, não vem criança aí - pelo menos não que eu saiba) e hoje, após o meu pequeno-almoço tardio, e num dia cinzento de chuva em Londres, dei azo aos meus talentos culinários e pus em prática uma receita da Nigella Lawson que queria experimentar há algum tempo, contida no seu livro Feast - para quem não sabe sou viciada em livros de culinária (mas viciada MESMO).

Partilho convosco para que possam deliciar-se e lambuzar-se com esta tentação deliciosa de chocolate negro e cacau em dose deveras extravagante! Eu acredito que para se fazer boa comida, os ingredientes também devem ser de qualidade, por isso partilho algumas dicas em relações a marcas que prefiro. Quem não as encontrar em Portugal (o que infelizmente é provável), pode sempre verificar pela tabela de componentes se os produtos são de facto de qualidade ou não.

Bolo de chocolate old-fashioned

Ingredientes

PARA O BOLO:
 200g de farinha de trigo sem fermento;
200g de açúcar;
1 colher de chá de fermento;
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio;
40g de cacau de boa qualidade
(O melhor que encontrei em Londres e que uso sempre é da Green & Black's Organic);
175g de manteiga sem sal;
2 ovos grandes;
2 colheres de chá de extracto de baunilha 
(Escolhe um com qualidade, cá em Londres o melhor é da marca Nielsen-Massey);
150 ml de sour cream;
(Para quem não conseguir encontrar sour cream, este pode geralmente ser substituído por iogurte natural. De acordo com a minha pesquisa, é possível encontrá-lo em alguns hipermercados em Portugal, sob a designação de sour cream, natas azedas, ou Saure Sahne).

PARA O ICING:
75g de manteiga sem sal;
175g de chocolate preto de boa qualidade partido em pedaços
com o mínimo de 70% de cacau;
300g de açúcar em pó;
1 colher de sopa de golden syrup
(Eu uso Lyle's Golden Syrup, da Abram Lyle & Sons, que pelo que investiguei também há em Portugal. Se não encontrares, penso que poderás substituir por mel);
125ml de sour cream 
(ou de iogurte natural se não tiverem sour cream);
1 colher de chá de de extracto de baunilha.

Preparação:

Tira todos os ingredientes do frigorífico com alguma antecedência, pois não se deve utilizar ingredientes frios na confecção de bolos; estes devem encontrar-se, salvo raras excepções, à temperatura ambiente. Pré-aquece o forno a 180ºC e unta duas formas de 20cm com bases removíveis (sandwich tins) com manteiga e forra o seu fundo com papel vegetal.

Coloca todos os ingredientes do bolo num food processor (picadora) e coloca-a a funcionar até que obtenhas uma massa macia e grossa.

Divide a massa pelas duas formas, usando uma espátula de silicone e coloca as duas formas no forno, até que introduzas um palito ou pau de esparguete seco (este último é até mais aconselhável) nos bolos e este saia seco. O bolo deve demorar cerca de 35 minutos a cozer, mas deves ir verificando a partir dos 25 minutos. Também é boa ideia trocares as formas de prateleira a meio da cozedura.

Quando estiverem cozidos e a cozinha cheirar irresistivelmente a chocolate, retira os bolos do forno e coloca-os a arrefecer em cima de uma grelha de arrefecimento dentro das formas durante 10 minutos antes de os tirar da forma. Não te preocupes se os bolos tiverem o topo ligeiramente rachado, pois o icing vai tapar tudo no final (receita óptima para pessoas mais desleixadas e impacientes como eu).

Para fazer o icing, derrete a manteiga e o chocolate no microondas (verificando e mexendo com frequência) ou em banho-maria (atenção que quando derretemos algo em banho-maria, o nível da água não deve chegar à tigela, mas sim, deve estar abaixo da mesma, sem lhe tocar). Deves fazer isto devagarinho para te certificares que não queimas o chocolate, o que seria uma pena.

Enquanto o chocolate e a manteiga arrefecem um bocadinho, aproveita para peneirar o açúcar em pó para outra bacia para remover grumos de açúcar.

Adiciona o golden syrup à mistura de chocolate e baunilha, seguido do sour cream e do extracto de baunilha. Termina misturando o açúcar em pó peneirado. Se quiseres, também podes fazer isto usando o food processor. Quando terminares, podes precisar de adicionar alguma água a ferver à mistura - tudo depende se preferes o icing mais fino ou mais grosso.

Escolhe um prato para o bolo e coloca lá um dos bolos, cobre-o generosamente com o icing, e coloca o outro bolo no topo deste, repetindo o processo. Não te esqueças de cobrir também os lados do bolo com o icing. Eu pessoalmente gosto que o bolo fique com ar tosco, por isso não me dou ao trabalho de nivelar o icing e alisá-lo.



Espero que se divirtam a fazê-lo, embora desconfie que estarão ocupados a apanhar sol na praia.

:) E eu fico por cá, cheia de inveja, mas a trincar uma mega-fatia de bolo de chocolate!

Sigam-me também aqui:
Beijinhos,

A Menina dos Óculos










Friday, 9 May 2014

The Taste

As mudanças já terminaram, a internet vai ser instalada hoje, e espero que me venham colocar a campainha da porta a funcionar também ainda hoje. Está tudo a encarreirar finalmente: voltei à cozinha, onde tenho experimentado algumas receitas que vou querer partilhar convosco (quem sabe, em formato de vídeo?!), estou a regressar aos blogues, regressei ao ginásio, que tenho frequentado mais assiduamente,  e no geral, estou a sentir de novo o gostinho da vida no meu sensível palato.

Nos últimos dias tenho aproveitado para curtir a casa nova, que, bem, é mais velha, que nova na verdade. O facto é que eu não sou propriamente muito fã de tendências estéticas minimalistas, sou mais fã de madeiras toscas, de tradição, de uma tendência Parisienne chic, ou de um estilo campestre Inglês, misturado com coisas que gosto e que me dizem muito. Basicamente, a nossa casinha em Londres é pequena, mas está cheia de memórias, atafulhada de recordações, de pedaços da nossa vida. A cozinha não é grande infelizmente, e a superfície de trabalho está quase perdida no meio do equipamento, óleos, azeites, temperos, vinhos, cheia de gostos, de sabores, de vida. E é isso que aprecio numa casa, pelo menos na minha casa. Entre panelas de cobre, tachos de ferro fundido esmaltado, panelas e caçarolas Le Creuset, chaleiras azuis e uma torradeira quase maior que o microondas, eu lá acabo por me entender, e já me sinto em casa.

Acima de tudo, a casa está cheirosa! Sim, adoro entrar numa casa e sentir os cheiros que lá habitam. Uma vez que hoje não houve tempo para baking, e me fiquei por um late brunch constituído pela minha receita fantástica (não é exagero; é mesmo algo do outro mundo) de crepes Franceses com creme de chocolate branco (este recheio só é mesmo adequado para pessoas muito gulosas, como eu), na cozinha predominam aromas baunilhados e no quarto vivem os cheiros Orientais de um ambientador (no quarto costumo usar 'Glade', aquele que parece um elemento decorativo, mas é de facto um ambientador), ou seja, está tudo cheiroso, tal e qual como eu gosto.

E nisto tudo, sabe tão bem ter o nosso cantinho, um cantinho com o qual nos identificamos e que nos faz feliz. Posso mesmo dizer que dá um outro sabor à vida!

Pormenores do quarto

Sigam-me também aqui:


Beijinhos,

A Menina dos Óculos